Coreografia na Igreja: A Dança da Ignorância [Refutação parte I]

14 dez

Parte I | Parte II

REFUTAÇÃO SOBRE O TEXTO

Coreografia na Igreja: A Dança da Ignorância

DE: Moisés C. Bezerril

[Fonte: http://bereianos.blogspot.com/2011/11/coreografia-na-igreja-danca-da.html]

Refutação: Parte I


Obs: O foco da argumentação está em negrito e sublinhado.

A ignorância dança na minha frente! Colorida, maquiada, e iluminada, ela se contorce feita serpente, mas não entendo o que ela quer dizer!

*Nesse momento houve uma inversão na colocação da palavra acima, pois em síntese, ignorância é a falta de saber, ausência de conhecimento, sendo assim, quem dança na igreja deduzo que sabe o que está fazendo, quem não entende se encaixa nos que ainda são ignorantes

Trevas medievais se abatem sobre o culto de igrejas modernas.

* A igreja é moderna, porque vivemos no mundo ocidental, diariamente nos deparamos com a modernidade dentro de casa, com TVs Lcds, Leds que a pouco tempo eram enormes e pesadas, vídeo games monitorada por sensor sem controle remoto, internet, Twitter, blog, emails, Google, Ipod, ipad e tantos outros recursos tecnológicos disponíveis no século XXI. E quando chegamos à igreja é totalmente normal que podemos encontrar ou não, igrejas modernas, sofisticados com os melhores instrumentos e equipamentos de som, filmagem, transmissão ao vivo pela internet ou pela televisão, poltronas confortáveis, tribunas com layout sofisticado, tudo isso refletindo a excelência e o aproveitamento de tudo aquilo que Deus criou e nos deu oportunidade de alcançarmos nesse século, a igreja não é Deste mundo, porém  ESTÁ nele e  se não há pecado envolvido, não há qualquer problema usarmos a modernidade, a tecnologia e a excelência em prol do Reino de Deus. Mesmo porque não encontramos mais pelo menos em nossa cidade, igrejas de madeiras, pastores tendo como transporte uma bicicleta para locomoção, pastores e zeladores da igreja exercendo o mesmo ofício, salários realmente mínimos para sustento de sua família, se não aceitarmos a modernidade do século em que vivemos, também não poderíamos aceitar os salários exorbitantes de alguns ministros da palavra que efetivamente “Cobram” para pregar o evangelho se beneficiando disso para manter  um padrão de vida que poucos fiéis poderão alcançar com uma vida inteira de trabalho duro, são  casas que são verdadeiras mansões, carros luxuosos, viagens por todo Brasil e até para o Exterior, conferências, livros, CDs, DVDs, sites, e tantos outros recursos utilizados pelo clero atual. A modernidade bem utilizada coopera para o crescimento da igreja, prova disso é que jamais em outra época esta matéria poderia ter sido lida por tanta gente se não fosse colocada na internet, portanto condenar a modernidade das igrejas é uma total incoerência chegando a ser uma singela hipocrisia afirmar que há trevas sobre o culto de igrejas modernas.

Estive pregando em um congresso para jovens presbiterianos, e fiquei decepcionado ao ver que, o culto desses jovens nada tinha a ver com o presbiterianismo histórico, nem com o sistema calvinista de adoração.

*Penso que o culto a Deus não tem nada haver com denominação de igreja e nem tão pouco com sistema de fé das igrejas reformadas, sejam elas Calvinistas ou Arminianas. O culto tem haver com a Trindade, na verdade é exclusivo somente dessas três Pessoas e de um coração que  esteja disponível a cultuá-los, mesmo que pelo Calvinismo por um lado afirma a existência de um único Deus. Por outro, afirma a existência de três Pessoas que são divinas, sem admitir a existência de três deuses. Isso sim, se torna uma confusão praquele que deseja adorá-lo com sinceridade e singeleza de coração.

Palco

*Para alguém que tem a motivação correta, seja um palco, um tablado, um teatro, um auditório,ou no meio da rua, este ambiente  será para ele um altar onde a presença de Deus está, porque não é o espaço físico que determina a motivação de um adorador e sim a vida com Deus, seu coração e sua busca por Ele.

 

com muitas luzes pondo seus holofotes em moças maquiadas, brilhando à luz dos reflexos de sapatilhas prateadas, com vestidos multicoloridos,

*Qual o problema das luzes? Há pecado nisso? Gn 1:1 diz: “No princípio criou Deus os céus e a terra”, isso inclui, luzes, cores, vestidos multicoloridos “as cores tem significado, quem não sabe disso  ainda está no campo da ignorância”, corpos e tudo o que existe no universo foram criados com propósito.

 

contorcendo seus corpos como serpentes, e até, sensualmente mostrando o contorno de seus corpos, dançando e sinalizando com os membros superiores e inferiores, gestos obscuros que ninguém entendia o que queriam dizer com aqueles movimentos.

*Diante de tantos detalhes, chego à conclusão que no momento o observador não poderia de maneira alguma cultuar a Deus, pois estava no local não como um adorador ou alguém que vai cultuá-lo, mas sim como um observador, prova disso é que não se contenta em ficar só observando e por cognição ainda afirma que NINGUÉM ENTENDIA o que estava acontecendo.

Foi-me dito que elas estão louvando a Deus. Estranho!

Parece que esse louvor nunca poderá ser congregacional;
Em qualquer dicionário, a dança tem um significado comum que é
“Movimento”, então dançar é fazer movimento, não sei exatamente a que o autor se refere quando fala taxativamente sobre a coreografia, em todo tempo eu falo de “Dança =  Movimento”. Partindo desse princípio, qualquer pessoa pode e deve se movimentar sendo assim há uma desmistificação de alguns conceitos errôneos, como: dança quem faz ballet, quem dança é somente jovem, quem dança é somente mulher. Todo ser humano, até os que são “Especiais” conseguem fazer movimentos, então, isso é dança. Por isso esse louvor pode ser congregacional sim, a partir do momento que eu me movimento de uma maneira simples e voluntária, qualquer pessoa pode se movimentar também, inclusive crianças (sabia que antes de uma criança andar ela dança, e antes de falar ela canta? Os estudos pedagógicos afirmam isso). 

imaginaremos os anciãos da igreja coreografando sincronizadamente?
*Não é necessário imaginar essa situação, pois em muitas equipes de artes cristãs há pessoas idosas, expressando ao Senhor com movimento, eu lidero uma dessas equipes e garanto que não é a única no Brasil, onde senhoras mulheres de oração, que fazem parte da intercessão da igreja, mulheres idôneas, com mais de 30 anos na presença de Deus, com idade entre 40 e 75 atuam no ministério de artes utilizando a dança como ferramenta ministerial, então esse futuro já é presente!

Por que essa modalidade de louvor só pode ser praticada por moças novas?
*Outra colocação totalmente desprovida de conhecimento é que esta prática só é inerente a moças novas. Conheço pelo menos uma dezena de senhoras que atuam na casa de Deus utilizando a dança como ferramenta na evangelização, adoração e ensino e da mesma maneira homens. Em nenhum lugar do mundo não há nenhuma restrição em relação a arte, seja de cor, raça, sexo ou religião. A Dança é uma linguagem universal, em qualquer lugar do mundo que não se entende a língua original, se entende o que é arte, se entende a linguagem do movimento.

Você já parou para meditar no texto que diz: “Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor”. Sl 150:6.

Fôlego fala de sopro, de respiração, de vida. A o primeiro sinal que percebemos de alguém que morre é a ausência do fôlego, ausência do simples ato de movimentar o tórax inspirando e expirando o ar, esse simples ato de encher os pulmões indica um movimento de vida ou a ausência dele um estado de morte. Por isso o salmista nos convida a enquanto estivermos nos movimentando, respirando precisamos louvar ao Senhor.

Continuo na próxima Quarta

Parte I | Parte II

Anúncios

9 Respostas to “Coreografia na Igreja: A Dança da Ignorância [Refutação parte I]”

  1. Flavia Feernanda 14/12/2011 às 12:04 #

    Fiquei sem palavras, isso é tudo que tenho sentido nessas últimas semanas.
    As chamadas “igrejas modernas” sendo criticadas por terem bons equipamentos, por terem muita gente, por terem formas não convencionais para as “igrejas não-modernas”.
    Parabéns pela explicação, concordo plenamente com a visão.

    • Josi Brusch Pires 14/12/2011 às 13:45 #

      Respondido com muita sabedoria!!! Ja fui lider de um ministerio de dança e fiquei indignada com o texto desse senhor que criticou a danca na Igreja, é simplesmente total falta de conhecimento das Escrituras, se o mesmo a conhecesse nao teria escrito tantas bobagens!!! Alias em II Samuel 6:12-23 narra quando a arca foi levada para Jerusalem e como Davi festejou saltando e dancando (vs 16) e como Mical foi repreendida quando o criticou por fazer isto. E tantos outros versiculos que falam sobre a danca!! Gracas a Deus por essa liberdade que temos de honra-lo com TUDO o que temos!!!

      • ramon batata 30/12/2011 às 22:49 #

        Ele dançou e festejou sim,mas isso n tem nada associado ao culto!A propósito o autor do texto deixa bem claro as passagens onde DEUS diz através das escrituras como deve ser o culto,em anenhum momento existe uma recomendação ou mandamento onde devemos dançar no culto!

        • Eliane Moura 04/01/2012 às 03:04 #

          E onde há na bíblia recomendação para fazer campanhas nos cultos?

  2. ramon batata 30/12/2011 às 22:45 #

    Falou…falou…falou e n disse nada!!!Ah e em relação à trindade eu acho melhor vc estudar um pouquinho mais da bíblia…fica aí uma dica!!!
    abraço!!

    • Eliane Moura 04/01/2012 às 03:08 #

      Recomendo a vc ler melhor o texto e verificar que o que falo em relação a trindade não é o que eu penso e sim o que os Calvinistas pensam quando falam sobre a trindade, quanto a estudar mais a bíblia agradeço seu conselho, já que sou formada em teologia, este ano provavelmente farei uma pós graduação.

      • Rudi barbosa 23/02/2012 às 23:59 #

        Excelente refutação!
        (Obs.: Este texto foi postado no blog de origem)

        Dança é ARTE, Movimento é LINGUAGEM e a linguagem do movimento comunica, SIM!
        Existem milhares de formas de comunicação que com certeza o Senhor Deus não faria objeções mesmo sendo estas empregadas em um culto, desde que, é claro, seja inteligível e traga glórias ao Senhor, Mesmo não estando ESTAMPADO nas escituras assim como muitas das “invensões” humanas presentes em TODAS as denominações religiosas, pois como o senhor mesmo citou: “…presbiterianismo histórico, nem com o sistema calvinista de adoração…” Qual é mesmo o modelo que devíamos seguir?

        No entanto, quanto ao seu comentário: “Como poderia algo tão inócuo e irracional fazer parte do culto racional dos cristãos?” INÓCUO e IRRACIONAL?
        Com todo o respeito! Não sei nada de baille e não sei nada sobre Linguagem de Sinais, assim como o irmão, nota-se de passagem, desconhece consideravelmente os princípios fundamentais das expressões artísticas como da dança, música e artes em geral dentro do quadro contemporâneo. Entretanto, isto não nos dá o direito de tecer comentários depreciativos em relação àquilo que não conhecemos. Isto é PREconceito.

        Para finalizar, imagino que, seguindo nessa linha de raciocínio devessemos banir as igrejas compostas por surdos, mudos e segos que se utilizam estritamente destas formas de comunicação.

        Paz!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Coreografia na Igreja: A Dança da Ignorância [Refutação: Parte II] « Geração Josac - 21/12/2011

    […] na Igreja: A Dança da Ignorância [Refutação: Parte II] 21 dez Parte I | Parte […]

  2. Coreografia na Igreja: A Dança da Ignorância [Refutação: Parte II] : Geração Josac - 17/01/2012

    […] Parte I | Parte II […]

Diga o que você achou!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: